quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

















Curso de Restauração


RESTAURADOR

O trabalho do Restaurador consiste de exame técnico, preservação e conservação/restauração do bem cultural.
O exame é o processo preliminar para determinar o significado documental de um artefato; a estrutura original e os materiais; a extensão de sua deterioração, alteração e perda; e a documentação desses achados.
Preservação é a ação de retardar ou prevenir a deterioração ou a danificação dos bens culturais através do controle de seu meio ambiente e/ou tratamento de sua estrutura a fim de mantê-los o mais próximo possível de um estado imutável.
Restauração é a ação tomada para fazer com que um artefato determinado ou danificado possa existir e entendido com o mínimo sacrifício de sua integridade estética e histórica.
O Restaurador trabalha em museus, em serviços oficiais de proteção ao Patrimônio, em organizações privadas de conservação, ou independentemente. Sua função é de conhecer o aspecto material dos objetos de significado histórico e artístico a fim de prevenir contra sua degradação, e de intensificar nosso entendimento com relação a estes objetos para que possamos distinguir entre o que é original e o espúrio.
O Restaurador tem uma responsabilidade particular no tratamento realizado em ORIGINAIS INSUBSTITUÍVEIS que são, muitas vezes, únicos e de grande valor artísticos, religioso, histórico, científico, cultural, social ou econômico. O valor de tais objetos reside nas características de sua fabricação, em sua evidência como documento histórico, e, consequentemente, em sua autenticidade.
Qualquer intervenção deve ser precedida por um exame, com o propósito de conhecer o objeto em todos os seus aspectos, bem como as conseqüências de cada manipulação devem ser totalmente consideradas. Todo aquele que por falta de treinamento não estiver apto a realizar tais exames, ou que, por falta de interesse ou por outras razões, negligenciar em proceder nesta linha não poderá ser considerado como responsável pelo tratamento. Somente um restaurado bem treinado pode, de forma correta, interpretar os resultados de tais exames e prever as conseqüências decorrentes das decisões tomadas. A cooperação interdisciplinar é de extrema importância, pois hoje em dia, o restaurador deve trabalhar em equipe.
A recomendação é que uma intervenção em qualquer tipo de objeto de significado histórico e/ou artístico deva ser executada pelo artista, artesão ou pelo restaurador, e que possa ser feita, por este último, somente ser for bem treinado, bem preparado, experiente e altamente sensível. Este indivíduo sozinho, de acordo com o curador ou outro especialista, tem a possibilidade de examinar o objeto, determinar sua condição e ter acesso ao significado documental de seu material.

CONCEITO DE PRESERVAÇÃO, CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃ0

PRESERVAÇÃO: Ações previas desde as técnicas de execução garantindo estabilidade e permanência – criações favoráveis à não destruição (local de exposição)
CONSERVAÇÃO: Ações iniciais para conter o processo de degradação da obra – processos iniciais: limpeza, manutenção de condições climáticas ideais: 60 a 65% de umidade e 18 a 20°c de calor.
RECOMENDAÇÕES:
- Conservar as obras em ambientes arejados limpando-as com pincel de cerdas finas ou de preferência com aspirador de pó caso não haja deslocamentos, colocar um tecido na boca do aspirador. NUNCA ESFREGAR.
- Manter as obras longe de fontes diretas de calor como: luz solar, lâmpadas fortes, estufas etc...
- Conservar as obras longe de correntes ar, portas, janelas e principalmente paredes úmidas: UMIDADE: fator determinante de degradação – provoca dilatação e contração do suporte (tecido, madeira ou papel), proliferação de fungos (mofo) e insetos xilófagos (cupins). Chamar sempre um profissional da área quando encontrar indícios de manchas, pelotas fecais (bolinhas) e pó.
- Transporte: espumas de + ou – 2 cm. Tipo sanduíche e quando for longa distancia embalá-la em espuma rígida.
RESTAURAÇÃO: Operações técnicas, intervenção propriamente dita para prolongar a vida da obra.
As primeiras manifestações do homem em relação à preservação, conservação e restauração são tão antigas quanto a própria criação artística.












Nenhum comentário:

Postar um comentário